O que fará a Europa se o referendo italiano sobre a cannabis for bem-sucedido?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Bandeira da Itália. (Foto: Pexels/JÉSHOOTS)

Curadoria e edição Sechat, com informações de Canex por Roland Sebestyén

Os ativistas e defensores que reuniram mais de 630.000 assinaturas para desencadear o referendo sobre cannabis (e psilocibina, ou “cogumelos mágicos”, por exemplo) já fizeram história .

Um referendo sobre cannabis na Europa é algo que foi – e estranhamente, ainda é – inacreditável.

No entanto, agora é uma realidade e pode ser um ponto de virada crucial para toda a indústria.

Como Malta e a Alemanha anunciaram uma reforma completa da política de drogas que verá os primeiros casos de legalização da cannabis na Europa, o referendo da Itália é um lembrete de que o clima ainda está mudando.

Não estamos mais falando se o uso medicinal da planta é adequado. Agora é conhecimento básico.

Não é uma pergunta. O fato de nós, jornalistas, ainda estarmos relatando novas descobertas deve dizer às pessoas que “mais estudos deveriam ser disponibilizados antes de se chegar a uma conclusão”.

Existem milhares – dezenas de milhares – de estudos disponíveis argumentando que a cannabis medicinal é amplamente segura e bem tolerada.

Os governos, globalmente, devem aceitar essas descobertas e começar a educar seus médicos antes que seja tarde demais para aqueles que sofrem de algumas das condições médicas mais graves.

Existem muitos pacientes que poderiam se beneficiar do potencial da cannabis medicinal – alguns deles crianças, cujos pais esgotaram todas as outras opções.

Talvez igualmente importante, agora há uma conversa sobre o uso seguro da cannabis recreativa na Europa também.

Embora pareça que a grande mídia só noticiará a cannabis quando algo infeliz acontecer, outros – aqueles que estão tomando as decisões – começaram a ser mais cuidadosos e começaram a trabalhar em uma solução.

A maconha, quer você goste ou não, é a “droga” mais usada – bem, depois de café, cigarro, álcool, fast food, etc. A lista é longa.

A “Guerra às Drogas” falhou com os cidadãos; as pessoas foram decepcionadas. A proibição, todos devem entender, não funciona.

A decisão da Itália de avançar com um referendo é um sinal claro de que a maioria silenciosa não ficará mais em silêncio.

Se o referendo for bem-sucedido, o resto da Europa deve seguir o exemplo – e acho que será. Você pode esperar que mais países perguntem diretamente a seu povo quais são seus pensamentos sobre o assunto, criando assim uma conversa saudável.

Algo que atualmente é inimaginável no Reino Unido, certo?

Tenho certeza de que, eventualmente, a grande mídia também se juntará à festa, pois ler o humor do público está em estreita correlação com a receita.

No entanto, existe um risco – um risco enorme. Se o referendo italiano não for bem-sucedido, os proibicionistas terão um Royal Flush nas mãos.

Eles podem apontar e dizer “veja, as pessoas não estão interessadas no assunto”, e então o status quo deve ser deixado em paz.

Todos nos lembramos de como foi devastador quando a Nova Zelândia votou contra a legalização da cannabis em 2020.

A Europa precisa deste referendo e precisa de um passe. A cannabis é o futuro, e o futuro começa agora.

Começa na Itália.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese