Destaques da live reconsiderando a cannabis: como uma planta estigmatizada pode se tornar uma solução?

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Por João R. Negromonte

Contato um pouco sobre seus novos projetos e sua relação com a cannabis, o jornalista, escritor e editor Denis Russo Burgierman, transpassa pelos caminhos feitos pela planta traçando um paralelo entre o que ela foi e o que ela representa hoje na vida das pessoas.

Para isso, Burgierman se utiliza do seu conhecimento adquirido ao longo de mais de duas décadas de pesquisas e estudos sobre esse ecossistema.

“Sempre escrevi sobre complexidades, esse é meu forte. Poder falar sobre esse tema tão controverso é uma experiência extremamente enriquecedora, pois é uma pauta que causa certo desconforto em algumas pessoas e é exatamente esse tipo de sentimento que busco desmistificar”, relata o comunicador.

ao longo da sua história, a cannabis passou por diversos momentos. Já foi produto de grande valor comercial, sendo utilizado na área têxtil, construção civil, rituais religiosos, dentre outros que modificam a maneira que nós, seres humanos, lidamos com ela.

Quando questionado sobre o que mudou ao longo de todos esses anos de coevolução entre humanos e cannabis, Denis diz:

“Gosto de dizer que muito e quase nada mudou. Ou seja, se observarmos a evolução da política de drogas em alguns países, inclusive no Brasil, notaremos um grande avanço. Entretanto, se pararmos para pensar na nossa política de encarceramento, iremos perceber que pouco mudou em relação a séculos de evolução. Ainda vemos as classes menos favorecidas da população, serem trancafiadas em prisões, às vezes apenas por serem pretos, pobres e periféricos. Isso é um absurdo que tem que ser repensado urgentemente, devemos uma retratação histórico-social à essas pessoas”.

Outro tema abordado foi o quanto já sabemos sobre a cannabis. Denis revela que ao longo de suas andanças pelo Brasil e no mundo, notou uma coisa curiosa que chamou sua atenção:

“Todo lugar que visitei, seja ele nos interiores ou nas capitais, absolutamente todos os cantos desse mundo, pude encontrar um pé de maconha ou um relato sobre a planta. Isso demonstra o quanto o ser humano tem uma relação antiga e íntima com ela. Mostra também, que apesar de a grande maioria saber do que se trata, desconhecem suas propriedades medicinais, muitas das vezes”.

Para Denis, o trabalho realizado pelo professor Mechoulam na década de 60, ou mesmos as pesquisas do nosso conterrâneo professor Elisaldo Carlini, contribuíram muito para compreendermos a cannabis como ela é hoje. “Porém, ela nunca foi uma novidade e, cada vez mais, com a pressão das grandes industrias e com uma demanda mundial crescente pela procura desses tratamentos ou mesmo o uso adulto, contribui para que nossos governantes se atentem ao tema e, mesmo sabendo que a PL399 não contemplará a todos nesse primeiro momento, entendo que a regulamentação trará sim benefícios para as pessoas e é apenas o primeiro passo para a continuidade dessa evolução,” reforça o escritor.

O papo teve também novidades sobre seu novo livro que está em fase de pesquisa, mas que muito em breve aparecerá para o público que se identifica e busca conhecimento com o universo canábico.

Quer saber mais sobre sistema endocanabinóide, coevolução entre humanos e cannabis, homeostase, além de uma busca de um olhar global pro que está acontecendo ao redor do mundo? Veja o vídeo completo da live que foi ao ar terça-feira, 30/11.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER