Colômbia ordena que todos os provedores de seguro médico cubram uso medicinal de cannabis

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
(Foto: Pexels/Danilo Arenas)

Curadoria e edição Sechat, com informações de Mugglehead

Os pacientes colombianos de cannabis podem esperar uma redução significativa dos custos, já que o governo determina que as seguradoras médicas forneçam cobertura para todas as formas farmacêuticas da planta.

Para os estimados 6 milhões de pacientes com cannabis em potencial no país, a mudança também deve simplificar o processo e reduzir os tempos de aprovação.

Na semana passada, o Ministério da Saúde e Segurança Pública publicou suas atualizações de 2022 para novos medicamentos e procedimentos médicos que precisam ser incluídos em todos os planos de saúde.

A atualização adicionou 654 novos procedimentos médicos e 564 medicamentos à lista, que incluía todas as concentrações e formas farmacêuticas de THC e CBD. As alterações entraram em vigor em 1º de janeiro.

A vice-ministra de Segurança Pública, Maria Andrea Godoy, disse que esta é a maior atualização da história do serviço público de saúde da Colômbia.

“Nesta ocasião, o governo fez um enorme esforço que permite a inclusão – consideravelmente maior – de tecnologias de saúde a que terão direito os cidadãos filiados ao Sistema Geral de Segurança Social em Saúde (SGSS)”, disse Godoy em nota.

Em um comunicado terça-feira, a empresa de cannabis sediada em Toronto Khiron Life Sciences Corp., disse que incluir maconha no plano de saúde obrigatório do país criará um dos maiores mercados segurados para o setor médico indústrial de cannabis em todo o mundo.

A empresa afirma que as mudanças regulatórias ajudarão a Khiron a se posicionar como líder mundial devido à sua presença já estabelecida no país.

Em março de 2020, a empresa se tornou o primeiro produtor licenciado na Colômbia com permissão para vender cannabis para pacientes, por meio de suas clínicas de cannabis medicinal Zerenia.

Desde então, Khiron continuou a crescer e cumpriu mais de 57.000 prescrições para mais de 16.000 pacientes. A empresa possui 15 clínicas médicas na Colômbia e no Peru, além de uma inauguração no Reino Unido em novembro.

No ano passado, o governo colombiano incluiu a cannabis medicinal como um de seus medicamentos aprovados para cobertura de seguro, mas apenas alguns fornecedores a incluíram.

“Em 2021, 60% dos nossos produtos foram vendidos por meio de acordos com duas grandes seguradoras. Hoje, todas as seguradoras são obrigadas a cobrir a cannabis medicinal na Colômbia , com menos papelada e complicações para os pacientes”, disse Alvaro Torres, CEO da Khiron, em um comunicado.

“Mesmo que as regras anteriores fossem mais complicadas, a cobertura de seguro fez uma diferença dramática em nossos resultados.”

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

ASSINE NOSSA NEWSLETTER PARA RECEBER AS NOVIDADES

ASSINE NOSSA NEWSLETTER
pt_BRPortuguese
pt_BRPortuguese